Comprometimento calculativo e retaliação: visão integrada dos conceitos em uma organização pública

Letícia Gomes Maia, Antonio Virgilio Bittencourt Bastos

Resumo


Este artigo objetivou colaborar para a revisão da multidimensionalidade do conceito de comprometimento e para o desenvolvimento da relevante temática de pesquisa sobre os desvios de comportamento no ambiente de trabalho, por meio da discussão sobre a base calculativa do comprometimento e sua relação com comportamentos de negligência como forma de reação a um estado de insatisfação. A pesquisa teve a perspectiva quantitativa e foi realizada em uma organização pública com representações em dez capitais do Brasil. A amostragem foi aleatória e estratificada, proporcional por área de atuação dentro da organização, e resultou em 519 respondentes. Os instrumentos utilizados foram a Escala de percepção e julgamento da retaliação organizacional e a Escala de comprometimento organizacional calculativo. Os resultados demonstram que os funcionários dessa organização possuem um baixo nível de comprometimento calculativo e baixa percepção de retaliação, o que indica uma relação positiva entre os dois constructos. Esses resultados corroboram outras pesquisas, que demonstram correlações positivas entre a base calculativa e comportamentos indesejáveis, de maneira oposta às outras bases do comprometimento, e, dessa forma, ratificam a sugestão de retirada da base calculativa e o tratamento desse conceito de forma separada, como entrincheiramento organizacional.


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons

Esta obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.

 

Revista de Administração da UFSM.Brazilian Journal of Management

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, eISSN 1983-4659 Fone/fax: (55)32209242